Aprenda a identificar os sintomas físicos da ansiedade

Conteúdo em parceria com:

Conteúdo em parceria com:

Os sintomas físicos da ansiedade são mais comuns (e mais fáceis) de identificar do que muita gente imagina. Os sinais da ansiedade vão além do sentimento de angústia, medo e preocupação, e despertam reações físicas que exigem atenção: o corpo está pedindo ajuda.

Segundo Tatiana Pimenta, da plataforma de saúde mental Vittude, os sintomas físicos da ansiedade “são semelhantes aos de outras doenças, como gastrite, anemia ou até doenças cardiovasculares”.

Tatiana explica que o diagnóstico de transtorno de ansiedade só pode ser feito por um profissional qualificado, como psicólogo ou psiquiatra, que avalia também os sintomas psicológicos, como nervosismo, dificuldade de concentração, irritabilidade, entre outros.

Caso você tenha alguns destes sinais, uma opção é buscar ajuda psicológica. O psicólogo pode ajudar você a identificar não só os sintomas físicos, mas também os gatilhos que provocam estes sintomas e como lidar com os momentos em que a ansiedade é maior. Conheça também 6 formas criativas de combater a ansiedade.

Quais são os sintomas físicos da ansiedade?

Dor no peito e taquicardia: Tatiana explica que as palpitações costumam aparecer de repente ou quando a pessoa enfrenta situações estressantes. Isso ocorre por causa da grande quantidade de adrenalina liberada no corpo, um hormônio que regula o sistema cardiovascular e aumenta a frequência cardíaca. A dica é respirar fundo para tentar manter a calma e desacelerar os batimentos.

Falta de ar: A ansiedade afeta o padrão respiratório. Em vez de inspirar e expirar mais profundamente, como fazemos sem perceber quando estamos calmos e tranquilos, o pulmão se enche e se esvazia com respirações curtas, causando a hiperventilação. Ao reduzir os níveis de dióxido de carbono no sangue, podem aparecer os tremores, a dormência nos membros, a boca seca e as dores no peito, explica Tatiana.

Suor excessivo: A sudorese, segundo a CEO da Vittude, é parte da resposta corporal relacionada aos níveis de adrenalina no corpo. Quando está em alerta constante, motivado pelo excesso de adrenalina, o suor de forma exagerada aparece.

Tremores: Os tremores ou espasmos são reações comuns do corpo influenciado pela ansiedade. São os chamados tremores psicogênicos, movimentos involuntários comumente desencadeados por estresse físico e mental.

Náusea: Os enjoos são comuns especialmente em quem tem gastrite nervosa, causada por episódios de estresse e ansiedade. Tatiana explica que o enjoo surge por causa de neurotransmissores liberados pelo cérebro para despertar o corpo e prepará-lo para reações rápidas quando ele se sente ameaçado. Quando estes neurotransmissores chegam ao sistema digestivo, podem até desequilibrar a flora intestinal, causando diarreia ou constipação, além da indigestão.

Tensão muscular: Quando a ansiedade prepara o corpo para reações rápidas, acaba deixando os músculos tensionados –lembre-se de que a ansiedade causa o medo, que prepara o corpo para reagir a uma ameaça em potencial.

Queda de cabelo: A ansiedade afeta os nutrientes indispensáveis para a saúde do couro cabeludo. Com a redução dos níveis de estresse, o cabelo volta a crescer normalmente.