Como a falta de vitamina D impacta a saúde mental?

Conteúdo em parceria com:

Conteúdo em parceria com:

A vitamina D é um nutriente essencial para o corpo, e tem papel fundamental na saúde dos ossos e dos músculos. É graças a ela que absorvemos cálcio e fósforo, além de ser importante para o sistema imunológico. A falta da vitamina D impacta até mesmo na saúde mental.

Tatiana Pimenta, fundadora da plataforma de saúde mental Vittude, explica que a deficiência de vitamina D causa cansaço, sono exagerado, enxaqueca, resfriados e gripes frequentes, as quais interferem na qualidade de vida. Da fadiga crônica surge a preguiça, frustração, desânimo e sensação de estar no piloto automático.

“A inatividade é uma das grandes responsáveis pela tristeza, mas poucos prestam atenção nela. As pessoas precisam de mudanças e contato frequente com coisas novas. Caso contrário, se afundam em pessimismo e mesmice”, explica Tatiana.

Não é à toa que muitos estudos indicam que a falta de vitamina D está relacionada ao aparecimento de depressão, diz a fundadora da Vittude.

Diferentemente de outras vitaminas, a D é a única que o próprio corpo humano é capaz de produzir. Para isso, o deal é tomar sol sem filtro solar por pelo menos 20 minutos por dia. Vale lembrar que o sol do começo da manhã e do fim da tarde, por ser menos intenso, produz menos vitamina D do que o horário de pico, entre 12h e 14 horas.

Os raios UVB penetram na pele, produzindo uma reação química que cria a vitamina D. Depois de passar pela circulação sanguínea, pelo fígado e pelos rins, ela entra em ação: eleva a absorção de cálcio e fósforo no intestino, além de estimular os ossos e os músculos.

É possível suplementar a vitamina D de forma oral, com cápsulas, ou pela alimentação, como ao comer peixes como o salmão, atum e sardinha, por exemplo. Mas o sol é o maior responsável pela produção da vitamina D, sendo responsável por 90% dela.

Vitamina D e saúde mental

Tatiana Pimental, da Vittude, cita o caso das pessoas que vivem em locais com pouco sol: elas produzem mais melatinina, o hormônio do sono, e ficam mais cansadas e sonolentas, além de terem o metabolismo e o humor alterados.

Este ciclo de sonecas e inatividade, além das oscilações de humor, podem impactar a saúde mental das pessoas. Há pesquisas que apontam que a deficiência de vitamina D tem impacto nas funções cerebrais.

Ela dá algumas dicas para identificar os sinais de falta de vitamina D, como o desânimo constante, a queda de cabelo, dores de cabeça, sonolência em excesso, entre outros sintomas. O diagnóstico é feito por meio de um exame de sangue.

Além da consulta com um médico para avaliar a deficiência de vitamina D, é recomendável buscar um nutrólogo, para orientar sobre um plano alimentar para reposição do nutriente, e um psicólogo, para aliviar os sintomas psicológicos.