Como lidar com as crianças em casa e entretê-las na quarentena?

Conteúdo em parceria com:

Conteúdo em parceria com:

Com as escolas fechadas, muitas famílias precisam improvisar com as crianças em casa na quarentena. O importante é não deixar os pequenos com avós que tenham mais de 60 anos – crianças não têm a disciplina para lavar as mãos sempre que possível e para adotar o isolamento social, sem beijos e abraços.

Para evitar a ansiedade entre os pequenos, que podem estar sem o horário escolar definido, tente criar uma nova rotina em casa. Determine horários regulares para as aulas virtuais ou para fazer as atividades da escola. Atividades manuais ajudam a evitar que os pequenos passem mais tempo na frente da televisão, do videogame ou do celular.

Veja também:

A plataforma de saúde mental Vittude, ressalta ainda a importância de saber de que forma falar com as crianças sobre o novo coronavírus, explicando não só a importância da higienização, mas também tranquilizando-as sobre eventuais medos que uma pandemia pode causar.

“Para crianças maiores, a dica é introduzir o assunto de tal forma que haja uma abertura para a criança expor o que ela já sabe e colocar as suas dúvidas. Em seguida, acalme suas angústias e assegure que é normal sentir medo e ansiedade, mas que é preciso ter coragem para enfrentar a situação com otimismo. A criança deve sentir que pode procurar conforto nos familiares sempre que precisar”, diz a Vittude.

Brincadeiras para crianças na quarentena

Quarentena não é férias, mas as crianças precisam brincar (e aprendem muito brincando). A Vittude lembra também da importância de incentivar a criança a brincar sozinha, a não ser que ela tenha irmãos, por exemplo. “É importante oferecer brinquedos que não exijam a companhia de outras pessoas. Alguns exemplos são quebra-cabeças e blocos de montar, como Lego, que exigem tempo e dedicação”, diz a escritora.

Selecionamos algumas atividades que podem ajudar a entreter as crianças em casa na quarentena. E não tenha preconceito com a tecnologia: a internet pode ser sua aliada neste momento.

Pintura ou desenho

Algumas crianças gostam mais de colorir; outras, de desenhar. Mas é fato que até mesmo alguns adultos gostam de pintura e desenho, já que são atividades que relaxam. Se tiver tinta em casa, a atividade fica ainda mais interessante (apesar da bagunça ser um pouco maior). Se tiver a opção de imprimir em casa, aproveite a internet para encontrar desenhos para colorir com lápis de cor (há opções mais simples para crianças até as mais elaboradas para adultos).

Brinquedos com material reciclável

Aqui a ideia não é só brincar, mas também construir o próprio brinquedo – o que pode ser até mais divertido para as crianças. Tudo pode ser feito com o que há em casa, como tesoura, rolos de papel higiênico, pregadores de roupa, palitos, caixas de fósforos, garrafas de plástico.

Para o cai-não-cai: use duas garrafas PET grandes, palitos de churrasco, tampinhas de garrafa PET e tinta guache com várias cores. Enquanto as crianças pintam os palitos, os adultos cortam a parte mais estreita de uma das garrafas e o fundo da outra (a ideia é que uma garrafa ajude a fechar a outra com o fundo). Cabe ao adulto também fazer furos na garrafa para que os palitos coloridos transpassem o plástico, servindo de suporte para as tampinhas (use alguma ferramenta aquecida para facilitar a criação dos furos). A dicas é do Instituto Kautsky.

Para o pebolim: Uma caixa de sapatos grande, prendedores de roupa de madeira, tinta guache colorida e tesoura viram o famoso jogo, também conhecido como totó. Enquanto os pequenos pintam os pregadores que serão os jogadores, os adultos furam as laterais da caixa e passam os quatro palitos de churrasco (dois para os goleiros e dois para o meio do campo). Lembre-se de furar em uma altura em que o pregador possa girar dentro da caixa. É preciso fazer também duas aberturas nas extremidades, onde ficarão os goleiros. A bola pode ser improvisada – uma bola de pingue-pongue ou até mesmo de papel.

Jogar stop

Em uma folha de papel, faça colunas e em cada uma delas escreva um tema: cidade, país, nome, cor, fruta, carro, o que a imaginação mandar. Escolha uma letra para cada rodada e escreva – quem acabar de preencher primeiro, grita “stop”, e todos mostram o que deu tempo de anotar. Para a contagem final, palavras idênticas entre os participantes podem contar 1 ponto; palavras diferentes, 2 pontos; em branco, não marca ponto.

Contação de histórias

Se a sua criatividade não anda na melhor forma, aproveite os perfis de contadores de histórias que estão postando conteúdo no Instagram e no YouTube. Algumas opções: Fafá Conta (@fafaconta) faz lives três vezes por semana, pelas manhãs, e o vídeo fica disponível para assistir em outros horários. Já a Emília Nuñez posta diariamente às 11h em seu perfil no Instagram (@maequele).

No YouTube, os canais Varal de História e Quintal da Cultura têm vídeos curtos de histórias para os pequenos. No Spotify, somente em áudio, estão disponíveis as histórias da clássica Coleção Disquinho, que não envelhecem. Já quem gosta de uma boa leitura em família tem muitas opções na biblioteca digital de Domínio Público, com muitas obras de literatura infantil para download.

Crianças na cozinha

Levar os pequenos para a cozinha não é só uma opção para passar o tempo juntos. É também uma oportunidade de ensinar a importância de comer de forma saudável. Mas lembre-se de deixar as crianças longe de facas e do fogão.

Veja também: