Como manter o distanciamento social e ser sociável com as pessoas

Conteúdo em parceria com:

Conteúdo em parceria com:

Sim, é possível ser emocional e conectado durante o distanciamento social, mesmo quando precisamos estar fisicamente separados

A RaiaDrogasil e a Thrive Global formaram uma parceria para ajudá-lo a manter sua saúde e bem-estar durante a pandemia do coronavírus

Publicado originalmente por Danielle Sinay, Escritora da Thrive Global

 

Na era do novo coronavírus, grande parte do mundo está vivendo nesta nova normalidade à medida que quem não trabalha em setores essenciais deve praticar o distanciamento social e o isolamento em casa. Este é um território desconhecido e imperativo para nos manter (e uns aos outros) fisicamente seguros através do distanciamento social. Entretanto, também precisamos tomar medidas para nos proteger contra outra crise: a solidão.

“Como seres humanos, estamos ligados pela conexão”, disse à Thrive a Dra. Lori Whatley, P.h.D., psicóloga clínica e autora de Connected and Engaged. “É bom para nós, mental e fisiologicamente, estar em contato com outras pessoas durante esta pandemia. Nossos cérebros produzem endorfinas positivas quando interagimos com quem amamos”, disse a especialista.

Veja também:

De fato, uma pesquisa da Universidade de Harvard, nos EUA, descobriu que a conexão com amigos e família — mesmo que virtualmente — tem a capacidade de melhorar significativamente o bem-estar geral e a saúde mental das pessoas.

Existem várias maneiras de fazer isto em casa: podemos enviar mensagens de texto e fazer chamadas telefônicas. Podemos escrever cartas. E podemos usar a tecnologia para ver os rostos e expressões das outras pessoas.

?EURoeQuanto mais as pessoas puderem se conectar no Zoom, no FaceTime ou em alguma outra plataforma de vídeo, mais terão a certeza de que a vida em geral ainda está acontecendo e de que tudo está bem com os outros e com seus entes queridos”, disse à Thrive o Dr. Scott Hoye, Psy.D., psicólogo clínico licenciado e diretor clínico do Chicago Psychology Services. ?EURoeVer quem você ama enquanto conversa é algo ?EUR~muito poderoso?EUR(TM). É bem melhor do que apenas o áudio e, certamente, melhor que mensagens de texto, que carecem de “nuances emocionais”, afirma Hoye.

?EURoeAproximadamente 80% do que compõe a comunicação humana é através da expressão facial, gestos com as mãos e tom de voz. Essa conexão, em algumas variações, é fundamental para nos sentirmos inteiros e saudáveis?EUR?, completou o psicólogo.

Enquanto as pessoas se adaptam a esse “novo normal”, mais e mais pessoas estão se tornando cada vez mais criativas e encontrando novas formas de interação. “As pessoas estão participando de coquetéis online e charadas de grupo, aulas de ginástica online e em grupo, encontros pelo Zoom e refeições pelo FaceTime”, disse à Thrive Lauren Muhlheim, uma psicóloga cujo atendimento tem o foco na ansiedade e depressão.

Conclusão: manter uma distância segura e limitar nosso contato pessoal não significa que precisamos perder o contato com as pessoas que amamos. Aqui estão três Micropassos, com suporte científico, para ajudar a ficar conectado/a durante este período:

Quando estiver se sentindo sozinho, programe um cafézinho virtual com um amigo

O isolamento social pode ter efeitos negativos poderosos sobre sua saúde, mas passar tempo com outras pessoas — mesmo que virtualmente — ajuda a ficar conectado/a.

Programe uma chamada regular de vídeo com seus pais ou parentes

Coloque um lembrete diário no seu celular. Mesmo um telefonema rápido ou uma mensagem de texto os ajudará a se sentirem mais conectados em um momento isolado.

Pergunte a alguém o que ele/a está fazendo para cuidar de si mesmo/a e permanecer conectado/a com quem ama

O distanciamento social pode nos dar a sensação de mais distância, não apenas fisicamente, mas emocionalmente. Faça uma ponte nessa distância com uma pergunta simples – você deveria aprender algo ou descobrir que vocês têm algo em comum?

Veja também: