Como o uso da máscara reduz a carga viral da Covid-19?

O uso da máscara de proteção não só ajuda a impedir a infecção pela Covid-19, mas também reduz a carga viral a qual estamos expostos. A conclusão é de dois estudos feitos na Europa e nos EUA. Isso significa que, em caso de contágio, a doença pode manifestar sintomas mais leves ou até mesmo ser um caso de Covid-19 assintomático.

Dependendo do material, do tipo e até mesmo da colocação correta no rosto, as máscaras são capazes de filtrar a maior parte das partículas do coronavírus, reduzindo a carga viral. Desta forma, a pessoa tem contato com uma quantidade de vírus bem menor, resultando em uma infecção pela Covid-19 mais leve, sem grande risco de gravidades e até mesmo de internação.

O uso de máscaras ajudaria a explicar a razão pela qual algumas pessoas desenvolvem a Covid-19 assintomática ou com sintomas bem leves, na maior parte das vezes sem a febre e sem sinais de uma gripe mais forte. Ela ajudaria ainda no desenvolvimento da resposta imunológica ao vírus, mas as evidências de imunidade celular para o coronavírus ainda estão em avaliação.

Vale lembrar que, apesar de os sintomas da Covid-19 serem mais brandos ou até mesmo inexistentes com o uso da máscara, a pessoa infectada ainda transmite o coronavírus. É por isso que é importante usar as máscaras ao sair de casa (pode ser máscara caseira com duas camadas. É preciso estar atento para posicioná-la corretamente no rosto).

Nos EUA, o estudo foi feito em uma parceria entre cientistas da Universidade Johns Hopkins (que desenvolveu o monitoramento de contagem de casos e mortes no mundo que é seguido pela comunidade internacional) com a Universidade da Califórnia. Na Europa, a pesquisa foi publicada pela Universidade de Oxford, no Reino Unido (a mesma que desenvolve as pesquisas para uma das vacinas que está sendo testada no Brasil).