Coronavírus: Quem usa lentes de contato deve trocá-las pelos óculos?

Uma das principais recomendações para evitar o contágio pelo novo coronavírus é não tocar o rosto. Esta é uma missão impossível para quem usa lentes de contato, já que elas costumam ser manipuladas várias vezes durante o dia.

Nos EUA, a Academia Americana de Oftalmologia recomendou a troca das lentes de contato pelos óculos para que as pessoas toquem menos os seus rostos e, consequentemente, os olhos. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) segue orientação diferente, indicando os cuidados redobrados com a higienização das mãos e das próprias lentes de contato, mas não desaconselha o uso para adultos.

Veja também:

Para as crianças, a recomendação da SBO é evitar as lentes, substituindo-as pelos óculos — lembre-se de que as crianças podem não estar tão atentas às regras de higienização das mãos. Veja algumas dicas de como tentar evitar o hábito de tocar o rosto.

Os especialistas americanos lembram ainda que usar os óculos durante a pandemia pode ser uma boa especialmente para os usuários de lentes de contato que costumam tocar os olhos com frequência maior. Desta forma, é possível reduzir a irritação dos olhos com o uso das lentes.

Os fabricantes de lentes de contato afirmam que o uso é seguro desde que elas sejam higienizadas da forma adequada (com a solução recomendada para limpeza), e colocadas com as mãos limpas. A SBO destaca a importância de também limpar os estojos que guardam as lentes, assim como balcões e pias usados para apoiar o estojo durante o manuseio delas.

Para quem optar pelos óculos, lembre-se de que também é preciso manter a higienização adequada: uma boa alternativa é lavá-los toda vez que lavar as mãos, com água e sabão neutro — não use álcool gel ou líquido. Não use o pano flanelado tradicional do estojo de armazenamento, e opte por um papel descartável mácio, sem esfregar para não riscá-los.

Óculos embaçam com o uso da máscara

Existem algumas opções para evitar que os óculos fiquem embaçados com o uso da máscara. Uma delas é ajustá-la, para que fique bem colada no rosto, evitando que o hálito quente e o vapor da respiração encontre as lentes frias dos óculos, criando a condensação e deixando-os embaçados.

Outra alternativa é usar o próprio peso da armação dos óculos para bloquear o fluxo de ar quente. A ideia é puxar a máscara, cobrindo o nariz o mais alto que puder, e colocar a armação sobre o tecido.

Coronavírus causa conjuntivite?

A Academia Americana de Oftamologia apresentou pesquisas que indicariam que alguns dos pacientes com os quadros mais graves da Covid-19 também desenvolveram a conjuntivite não infecciosa, a inflamação de uma das membranas dos olhos.

No caso do novo coronavírus, a inflamação dos olhos seria um dos sintomas considerados raros. Neste caso, os cuidados são focados na redução do desconforto, como o uso de soro fisiológico gelado para a higiene ocular. Compressas de gelo também podem ajudar.

Vale lembrar que, em geral, os vírus que causam infecções nas vias aéreas superiores, incluindo o que causa a gripe comum, também podem provocar a conjuntivite não contagiosa ao entrar em contato com os olhos. Veja outros sintomas incomuns do novo coronavírus.

Veja também: