Posso fazer exercícios físicos ao ar livre na quarentena?

Conteúdo em parceria com:

Conteúdo em parceria com:

As pessoas que estavam habituadas a correr, caminhar e pedalar: elas podem fazer exercícios ao ar livre durante a quarentena motivada pelo novo coronavírus? Para reduzir o contágio, as academias estão fechadas e a recomendação é para que todo mundo fique em casa, respeitando o isolamento social.

A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) indica ainda a prática individual de atividades físicas ao ar livre, “sempre evitando aglomerações, o que pode ser melhor controlado em locais conhecidos e próximos da residência, e com o maior distanciamento social possível”.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a prática de exercícios físicos ao ar livre na quarentena só é recomendada respeitando as restrições impostas por autoridades locais de saúde ao uso de espaços públicos e mantendo o distanciamento físico de até 2 metros.

O site de saúde e bem-estar Cuidaí lembra ainda que “mesmo seguindo todas as recomendações para trazer mais segurança aos exercícios ao ar livre, não existe garantia absoluta de que não haverá contaminação.”

Ainda que a prática de exercícios físicos ao ar livre não esteja proibida, deve-se levar em consideração a importância de manter o isolamento social, deixando a casa apenas para atividades essenciais.

Devo evitar exercícios ao ar livre?

Um estudo publicado por cientistas da Bélgica e da Holanda afirma que o distanciamento de até 2 metros pode ser insuficiente durante a prática de exercícios físicos, já que uma pessoa se exercitando poderia espalhar ou ter contato com uma espécie de “nuvem de gotículas” expelidas por alguém infectado — lembrando que pessoas contaminadas e assintomáticas também transmitem a doença).

Veja também:

A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte lembra que o estudo não foi publicado em nenhuma revista científica e também não passou pelo processo de checagem de outros cientistas. “Por isso, não havendo proibição legal para a prática, o exercício ao ar livre, de forma individualizada e isolada, com os devidos cuidados, ainda é a recomendação mais prudente”, diz a entidade.

Mas o distanciamento não é a única questão que deve ser levada em consideração pelos praticantes de atividades físicas ao ar livre. É importante manter as medidas de higienização das mãos e evitar tocar o rosto. Lembre-se de que é preciso usar máscaras para deixar a sua residência (veja como higienizar a sua máscara corretamente).

Vale lembrar que nem mesmo o uso de máscaras durante a prática de exercícios ao ar livre é um meio de proteção adequado contra o novo coronavírus, já que ela umedece com a respiração e a transpiração, além de mover-se no rosto, deixando nariz e boca mais vulneráveis ao vírus. A máscara também pode dificultar a hidratação (já que não há como beber água) e a respiração — ela afeta a ventilação durante o treino e pode tornar a atividade desconfortável, reduzindo o desempenho do exercício.

Como a atividade física é importante não só para evitar o sedentarismo, mas também para aliviar o estresse e auxiliar o sistema imunológico, a principal alternativa é praticar exercícios físicos em casa. O Cuidaí preparou um guia de exercícios que trabalham o corpo todo.

É importante ressaltar que pessoas com sintomas como febre, tosse ou dificuldades respiratórias devem descansar, buscando atendimento médico por meio de teleconsulta e só procurar os serviços de emergência de forma presencial em caso de falta de ar.

Veja também: