O que fazer se estiver com sintomas de coronavírus?

Ainda não existe medicamento contra o novo coronavírus, e o tratamento é feito de forma semelhante ao de uma gripe, ou seja, amenizando os sintomas. Repouso e a hidratação são recomendáveis, com a ingestão de bastante água e líquidos. A alimentação leve também é importante ?EUR”mesmo que o paciente não sinta gosto ou cheiro, sintomas relatados por pessoas que foram contaminadas.

No caso de febre alta (acima de 37,8º), recomenda-se uso de antitérmicos e analgésicos. Sem febre, é possível tomar banhos mornos para ajudar a aliviar as dores no corpo e a dor de garganta. O uso de umidificador de ar também é indicado. Inalação não é recomendável.

Veja também:

Não deve-se fazer automedicação, pois anti-inflamatórios e corticoides, por exemplo, podem agravar os casos graves, segundo estudos recentes. Antibióticos só funcionam para tratamentos de infecções bacterianas, e não para doenças virais. Tire dúvidas sobre remédios com o farmacêutico online.

No caso de pacientes de grupos de risco em geral, medicações já usadas para outras doenças devem ser mantidas. Mas é preciso procurar um médico para ter mais informações sobre como proceder em relação a estes medicamentos — se possível sem sair de casa, por meio de uma consulta de telemedicina.

Caso os sintomas de coronavírus fiquem mais intensos (principalmente a falta de ar), é preciso buscar ajuda médica ?EUR”à distância e até mesmo presencial. Conheça ainda alguns sintomas incomuns da doença, como a falta de olfato.

Quais medicamentos devem ser evitados?

Embora não existam evidências científicas suficientes, a recomendação do Ministério da Saúde é para que os pacientes evitem o anti-inflamatório ibuprofeno, que deve ser substituído por outros analgésicos no tratamento dos sintomas. Médicos também não recomendam o uso de corticoides por via oral.

Se precisar usar um dos medicamentos desaconselhados, é importante consultar um médico e não fazer a automedicação. Você pode tirar dúvidas sobre assistência farmacêutica no serviço oferecido pelo RD Saúde em Dia.

?EURoeDiante das incertezas e da lacuna de evidências comprovada sobre o tópico, recomenda-se o não uso de Ibuprofeno e outros Aines [anti-inflamatórios não esteroidais], sendo preferível as medicações analgésicas, tais como paracetamol e dipirona?EUR?, diz o Ministério da Saúde.

Higienização demanda cuidados especiais

Se a pessoa doente demandar cuidados, use luvas descartáveis para o contato. Luvas, máscaras, fraldas e quaisquer resíduos devem ser colocados em saco de lixo dentro do quarto antes do descarte com o restante do lixo da casa, evitando qualquer tipo de contato das mãos ?EUR”lave as mãos após qualquer manuseio de objetos no espaço em que a pessoa está isolada.

Não compartilhe pratos, copos, xícaras, utensílios de cozinha, toalhas, roupas de cama ou outros itens com outras pessoas da casa. Eles devem ser lavados com água e sabão. É importante também desinfetar diariamente as superfícies que são tocadas com maior frequência, como telefone, controles de TV, teclado do computador, mesas, balcões e o banheiro. Para higienizar o vaso sanitário, dilua uma colher de água sanitária para cada litro de água, limpando tampa e assento; feche o vaso antes de dar descarga e lave bem as mãos, mesmo com o uso de luvas.

Vale lembrar que toda a família deve permanecer em isolamento por 14 dias, e não só a pessoa infectada ?EUR” ela deve ficar em um ambiente restrito, com contato mínimo com os outros moradores da residência. De preferência, ficar em quarto individual bem ventilado, sem receber visita. Use a máscara bem ajustada ao rosto quando estiver no mesmo ambiente que outras pessoas (pode ser a máscara caseira; aprenda a fazer uma), e mantenha a distância mínima de 1 metro entre as pessoas. Sofás e cadeiras também não devem ser compartilhados.

O que fazer se tive contato com alguém doente?

Neste caso, é preciso adotar o isolamento por 14 dias, evitando ao máximo o contato com outras pessoas. Também monitore o possível surgimento de sintomas, como febre, tosse e falta de ar. É importante anotar a data em que você teve contato com a pessoa doente. Dessa forma, é mais fácil monitorar a evolução de possíveis sintomas.

Veja também: