Qual é a diferença entre o novo coronavírus e uma gripe comum?

Os sintomas do novo coronavírus são similares aos de uma gripe e podem ser confundidos. Em comum, tanto a Covid-19 quanto a gripe podem apresentar febre, tosse seca, coriza, dor de garganta, dores no corpo e dores de cabeça. Além disso, as duas doenças são transmitidas da mesma forma: por gotículas espalhadas pela saliva ou tosse, e as portas de entrada são as vias aéreas altas (nariz e boca).

É por isso que a recomendação do Ministério da Saúde é para a adoção do isolamento por 14 dias para quem desenvolve sintomas, independentemente de ser gripe ou Covid-19. A falta de ar, sintoma do novo coronavírus, é a principal diferença entre as duas doenças.

Já os resfriados não causam febre e falta de ar, e o principal sintoma é o espirro. Além disso, as tosses são mais leves. Vale lembrar que a diarreia é um sintoma raro, mas que pode aparecer tanto no coronavírus quanto na gripe ou no resfriado.

Veja também:

A Sociedade Brasileira de Infectologia recomenda que as pessoas procurem os serviços de emergência se apresentarem febre alta por mais de 24 horas ou falta de ar, mesmo que sem febre. Diante dos quadros mais leves, é recomendável buscar atendimento de forma remota, como em uma teleconsulta ou com algum médico de sua confiança, para ajudar a amenizar os sintomas. A opção do SUS é entrar contato por meio do telefone 136.

Ainda não se sabe a origem do novo coronavírus. Mas estudos indicam que morcegos podem ter sido os vetores de transmissão da doença durante o contato destes animais silvestres com humanos, seja por fezes ou saliva ?EUR” e não necessariamente na alimentação.

Nos humanos, a principal porta de entrada do coronavírus é por meio das vias aéreas altas (nariz e boca). Ele infecta as células desta região e passam a se replicar ?EUR” é por isso que alguns dos primeiros sintomas relatados são dor de garganta e nariz entupido ou coriza.

A partir do momento em que consegue se reproduzir com facilidade nas vias aéreas superiores, ele pode atingir as partes inferiores do sistema respiratório, descendo pela garganta e afetando a traqueia e os pulmões, causando tosse e provocando inflamação e acúmulo de líquido em casos mais graves.

Vacina da gripe não previne coronavírus

A grande diferença entre o novo coronavírus e a gripe é o tipo de vírus: enquanto a Covid-19 é causada pelo Sars-Cov-2, a gripe é provocada normalmente por três variações do vírus Influenza (A, B, ou C).

Para ficar mais claro: os tipos A e B causam epidemias em algumas estações do ano. Por exemplo, a pandemia de gripe suína em 2009 foi causada pelo H1N1, um vírus do tipo A. Já o vírus do tipo C causa infecções respiratórias mais leves, que normalmente não demandam atendimento médico.

A vacina trivalente dada pelo SUS gratuitamente protege contra as três principais cepas do vírus Influenza (duas do tipo A e uma do tipo B). No mercado privado, está disponível a vacina tetravalente, que protege contra quatro cepas, duas do tipo A e duas do tipo B.

Lembre-se de que a vacina contra a gripe não protege contra o novo coronavírus. Ela evita a contaminação por outros tipos de vírus que causam gripes e circulam no Brasil nesta época. Desta forma, quando a pessoa foi vacinada, é mais fácil saber se ela tem a Covid-19, já que está imunizada contra outros tipos de vírus da gripe.

Só é possível confirmar a diferença entre as gripes causadas pelo vírus Influenza e a Covid-19 através de exames de diagnóstico por meio das secreções ou do sangue.



Até o momento, não existe vacina para o novo coronavírus. Laboratórios, universidades e centros de pesquisa em todo o mundo já estão trabalhando no desenvolvimento de uma vacina. Ainda não se tem ideia do prazo para a conclusão deste trabalho. Alguns centros avaliam a possibilidade de sucesso em um período de 1 a 2 anos.

A rede de laboratórios Dasa ressalta que simultaneamente aos testes de medicamentos e vacinas, pesquisadores estão estudando também o próprio comportamento do vírus e de que forma o corpo o combate. A empresa lembra que após o anúncio da descoberta de uma vacina para imunização da Covid-19, ?EURoeo uso de remédios e aplicação de vacinas no Brasil dependem da aprovação das autoridades nacionais competentes?EUR?.

Veja também: