Quem já teve coronavírus deve se vacinar? Entenda melhor

Com o avanço do percentual de vacinados no Brasil contra o COVID-19, não são poucas as dúvidas que surgem sobre a imunização. Um dos questionamentos mais comuns gira em torno de uma pergunta: “Quem já teve coronavírus deve se vacinar?”.  

Até agora, temos no país a aprovação emergencial da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para as vacinas CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac, e da AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford com a Fiocruz. 

COVID-19 é atualmente a principal causa de morte por mês no Brasil – tirando a vida de mais pessoas do que doenças cardíacas ou câncer. E, para ajudar a conter a maré desta doença, cientistas de todo o mundo têm trabalhado para desenvolver as vacinas.

Quem já teve coronavírus deve se vacinar? O que diz a ciência

A Organização Mundial da Saúde  (OMS) e o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, concordam que sim. É preciso tomar a vacina mesmo que você já tenha tido coronavírus. Isso porque a vacina não só reduz o risco de infecção em pessoas sem histórico de exposição. Mas, também ajuda a proteger dos casos de reinfecção.

Quando alguém desenvolve o COVID-19, o seu sistema imunológico aprende a reconhecer o vírus e começa a produzir os anticorpos para lutar contra ele. Dessa maneira, se essa pessoa se recuperar da doença, ela pode ter imunidade contra a reinfecção com o vírus por um período de tempo posterior. No entanto, permanecem dúvidas sobre quanto tempo dura essa imunidade.

Assim, a OMS ainda não confirmou oficialmente por quanto tempo a imunidade desencadeada pela infecção persiste. Ou seja, mais um motivo para apostar na vacinação. 

Estou com covid-19. Como fica minha vacinação?

Se alguém atualmente tem sintomas ativos de COVID-19, o Ministério da Saúde recomenda que espere para ser vacinado até que tenha se recuperado e atendido os critérios para encerrar o isolamento. Assim, se você está com sintomas leves de covid-19, você deve se isolar e não sair de casa, pois corre o risco de infectar outras pessoas. Em caso de sintomas graves, deve buscar ajuda médica.

“Como a piora clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção, idealmente a vacinação deve ser adiada até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas. Ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas”, diz o órgão em seu site oficial. 

Quem não pode se vacinar

Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM), as únicas pessoas que não poderão fazer o uso das vacinas são aquelas que já tiveram reações alérgicas, como anafilaxia (reação grave), por algum dos componentes.

Já grávidas e lactantes, por exemplo, fazem parte do grupo que não participou dos estudos de imunização para o Covid-19. Então, não há nenhuma recomendação formal neste caso. Portanto, os especialistas indicam que a gestante e/ou a lactante deve avaliar com o obstetra os riscos e os benefícios da vacinação, principalmente se for profissional da saúde ou do grupo de risco.

Leia também: Tire dúvidas sobre o teste de Covid-19 na farmácia

%d bloggers like this: