Quem teve dengue não pega Covid-19? O que diz a ciência

Um estudo brasileiro faz uma possível correlação de imunidade entre a dengue e o novo coronavírus, sugerindo que quem teve dengue não pega a Covid-19. A pesquisa realizada pelo cientista Miguel Nicolelis indica que as regiões do país que tiveram muitos casos de dengue em 2019 e 2020 tiveram menos casos e mortes por Covid-19, sugerindo uma interação imunológica.

“Eu peguei o mapa de casos de coronavírus [no site do Ministério da Saúde] e coloquei lado a lado com o mapa de dengue, e encontrei o que a gente chama de distribuição complementar: regiões com pouco coronavírus estão cheias de dengue”, afirmou à agência de notícias Reuters o cientista brasileiro.

Nicolelis destacou ainda que existem outros estudos mostrando que há pessoas com sorologia positiva para dengue que testam positivo para Covid-19 sem terem sido infectadas pelo coronavírus, sugerindo que elas produziriam um anticorpo que age nas duas doenças.

“Isso indica que existe uma interação imunológica entre os dois vírus que ninguém poderia esperar, porque os dois vírus são de famílias completamente diferentes”, afirmou o pesquisador brasileiro.

Os estudos ainda precisam de pesquisas mais aprofundadas para validação de que quem teve dengue não pega Covid-19. Em sua coluna no jornal El País, Nicolelis destaca ainda que se os estudos mostrarem que a hipótese de imunidade, ainda que parcial, seja comprovada, uma vacina “segura e eficaz contra a dengue poderia conerir um certo grau de imunidade cruzada para o SARS-Cov-2”.

“Fui olhar em outros países do mundo. Em 2020, pelos dados de janeiro e fevereiro, seria a maior epidemia, mas a dengue começou a desaparecer quando a curva de covid-19 começou a explodir. Os dois vírus estão competindo pela mesma população de suscetíveis, mas a dengue precisa de um mosquito e covid é transmitida de pessoa a pessoa, muito mais rápido”, disse Nicolelis ao Estadão.