Sequelas da Covid-19 afetam pacientes recuperados

Parte dos pacientes infectados pela Covid-19 pode apresentar sequelas graves após a cura da doença. De acordo com pesquisas científicas brasileiras e internacionais, entre os principais problemas que o coronavírus pode causar estão AVCs (os Acidentes Vasculares Cerebrais), a trombose, danos neurológicos e inflamações no músculo do coração.

Sabe-se que, nos casos de Covid-19 leves, a retomada do paladar e do olfato é demorada. Mesmo após a não-detecção do vírus, muitos pacientes seguem relatando o cansaço, a fadiga crônica, a falta de ar, dores nas juntas e dor no peito.

Os dados preliminares de um estudo iniciado pela Unicamp preocupam. Cerca de 67% dos pacientes recuperados da Covid-19 sem hospitalização apresentam algum sintoma neurológico: fadiga crônica (30%), problemas de memória (25%), perda de olfato (20%), dores de cabeça (15%) e perda de paladar (10%).

Entre outras sequelas identificadas em pessoas que desenvolveram casos mais graves estão as complicações decorrentes da intubação (a respiração artificial), das traqueostomias, e problemas cardíacos, com algum tipo de anomalia cardíaca, como infecções no músculo do coração.

?EURoeAutópsias que realizamos nos últimos meses em pacientes diagnosticados com Covid-19 revelam que o vírus se espalha por vários órgãos como o coração e rins além dos pulmões e chega ao cérebro por meio do nervo olfatório?EUR?, disse Paulo Saldiva, patologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo).

Apesar do impacto do coronavírus nos pulmões, as sequelas no sistema nervoso podem ser maiores e até mais avassaladores. Isso por causa da difícil regeneração do tecido nervoso, provocando incapacidades gerais, já que o sistema nervoso coordena as funções do corpo todo. Entenda como a Covid-19 pode danificar o cérebro.

?EURoeParece que os efeitos não ocorrem por ação direta do vírus e sim por mecanismos mais indiretos que fazem lesões no sistema nervoso”, explica Clarissa Lin Yasuda, neurologista do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Unicamp.

A embolia (obstrução de um vaso ou artéria) pode ocorrer tanto na retirada da ventilação mecânica quanto devido à resposta inflamatória exagerada. Pequenos coágulos se desprendem e caem na corrente sanguínea, ampliando o risco de obstrução. Entre as consequências estão a embolia pulmonar, as tromboses, ataques cardíacos e AVC isquêmico (acidente vascular cerebral).

Segundo Luciana Castilho de Figueiredo, supervisora da fisioterapia da UTI do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, afirma que pacientes com casos menos graves de Covid-19 têm apresentado sequelas motoras, com o desenvolvimento gradual de alguns distúbios dos nervos, como fraqueza muscular, sensação de formigamento, dormência, dores semelhantes à queimação, entre outros sintomas.