Tipo sanguíneo tem relação com casos graves de Covid-19, diz estudo

Estudos apontam que o tipo sanguíneo pode ter ligação com a gravidade do caso de Covid-19. De acordo com uma pesquisa publicada no renomado periódico científico The New England Journal of Medicine, apontam que as pessoas com o sangue tipo A correm um risco maior de desenvolver sintomas mais severos após a infecção pelo coronavírus.

A pesquisa apontou um risco 45% maior de desenvolver quadros mais graves da Covid-19 em pessoas com o tipo sanguíneo A. Já quem o tipo sanguíneo O teria um risco 35% menor de apresentar o agravamento da doença — o tipo sanguíneo O é o mais comum na população.

“Nossos dados genéticos confirmam que o grupo sanguíneo O está associado a um risco de adquirir Covid-19 inferior ao dos grupos sanguíneos não-O, enquanto o grupo sanguíneo A foi associado a um risco maior que os grupos sanguíneos não-A”, explicam os pesquisadores no estudo.

Em linhas gerais, os tipos sanguíneos são A, B, AB ou O, e são definidos pela presença ou ausência de proteínas nas células do sangue (as hemácias) e pelos anticorpos que elas produzem ao entrar em contato com outros tipos de sangue.

Para uma transfusão, por exemplo, pessoas com o tipo A só aceitam sangue tipo A ou O; tipo AB aceita sangue de qualquer tipo; tipo B só recebe tipo B e O; tipo O só recebe doação de sangue O.

Existe ainda o fator Rh, que pode ser negativo ou positivo — no estudo, o fator Rh não vou levado em consideração. No Brasil, a maior parte da população tem sangue tipo O e tipo A.

Veja também: 

Para a pesquisa, foram analisados os genes de cerca de 4 mil pessoas com casos graves (incluindo insuficiência respiratória), moderados e leves de Covid-19 na Itália e na Espanha, além de pessoas sem Covid-19.

Mas os estudos sobre o impacto do novo coronavírus no corpo humano ainda estão em estágio inicial, e a pesquisa dos cientistas europeus sobre a relação dos tipos sanguíneos com a Covid-19 não significam um passe livre para que pessoas com o tipo de sangue O se descuidem ou que as pessoas com sangue tipo A terão sempre sintomas severos da doença.

É preciso levar em conta que o estudo não apresenta dados sobre outras doenças crônicas dos pacientes, como diabetes e hipertensão, e os demais fatores de risco para complicações da Covid-19, como idade, tabagismo etc.

Veja também: